MS anos 20

Entramos na década 20, do século 21 e a MS também entra, oficialmente, em sua segunda década, neste formato on line.

Em Janeiro de 2009, movido apenas pelo saudosismo, publiquei o que seria a primeira edição da MS on line.

Coisa de fã mesmo, sem nenhum planejamento. Apenas fui lá e fiz.

No ano anterior, Steve Jobs já preparava o mundo para o lançamento do formato tablet, que foi lançado oficialmente pela Apple em 27/01/2010.

Aquilo me martelava a cabeça, eu era tiete do formato Palm e seus sucessores e visualizei minha revista preferida naquele formato portátil e inovador.

A primeira edição copiava a MS  tradicional, impressa. Foi o que me veio inicialmente a mente e pretendo recuperar esta edição, que devo ter em algum backup.

Fiz tudo muito rápido e sinceramente não lembro sequer quais foram as matérias.

Somente após 3 meses, percebi que estava fazendo tudo errado. Estávamos na era da internet, o tablet servindo de modelo e eu publicando em formato impresso.

Decidi parar tudo e pensar em um formato mais dinâmico e assim se passaram 10 anos, num piscar de olhos.

Não havia um compromisso formal de fazer a revista, convidei alguns amigos para ajudar e descobri rapidamente que provavelmente eu era a única pessoa interessada em manter a MS.

O RD, sempre apoiou o projeto, porém deixou claro que a MS não entrava em suas prioridades e recusou todas as centenas (ok, só umas dezenas) de convites que lhe fiz para reassumir como editor.

A MS impressa teve vários editores, inclusive recebi convite da própria Alda Campos para assumir este cargo, quando ela quis alçar outros vôos, mas na época, eu também tinha outras prioridades.

Como em minha cabeça só duas pessoas podiam ocupar – de fato – esta função, não assumi, nestes anos todos, o papel de editor.

Só em 2019, quando me dei conta que a MS precisava deixar de ser uma fanfic, assumi o cargo de editor chefe, porém em 2020 este cargo fica vago e assumo um título que tem mais a ver com minha origem na MS, eu era Coordenador de CPD e adorava este cargo, então decidi que volto a ele, mas como Coordenador de Editorias, já que  cada seção da MS terá seu próprio editor. Esta será a principal meta para 2020, organizar uma excelente equipe.

Obviamente não se pode ter os melhores profissionais e cobrar deles um compromisso, sem remuneração, eu defendia isso nos anos 80 e não mudei de ideia.

Tiraria de meu próprio bolso, porém não é assim que se estrutura um negócio, então a MS passa também a ser administrada como um negócio, não vamos falar disso agora, mas aos poucos muitas mudanças vão acontecer, todas para melhor. De forma a possibilitar algumas atividades que foram pensadas para 2019 e não puderam ser implementadas, por falta de verba.

A MS impressa sempre foi um negócio, era vendida nas bancas, tinha publicidade e uma equipe muito bem remunerada.

Não pretendo mudar o formato gratuito, vivemos uma era em que determinados produtos não deveriam ser cobrados, a informação é um deles, todos devem ter acesso.

No entanto existem informações em nível privilegiado, informação mais detalhada, para quem está disposto a pagar pelo seu valor, que obrigatoriamente embute um custo de produção.

Mais do que a informação em si, existem produtos que extrapolam os limites da internet, que funcionam melhor impressos, produzidos, com direito a embalagem e em diversos formatos. Vamos focar também nestes produtos, a MS tem uma loja virtual que ainda não foi usada, mas será e ainda este mês teremos produtos diferenciados sendo oferecidos nesta loja.

A questão da publicidade tem que ser ainda muito pensada, vamos colocar anúncios, inicialmente de parceiros, mas enquanto eu for vivo e puder intervir, a MS não vai ter mais anúncio que conteúdo, porque abomino este lamentável mau uso da internet, como meio de lavagem cerebral.

Alguns sites perderam a noção de ridículo, não percebem que entrar neles é como assistir um filme com um comercial a cada 5 minutos. O próprio YouTube está se enterrando com isso.

A MS terá anúncios, mas serão dentro de um contexto e não vão interferir na leitura dos textos. Se estou indo contra algumas “leis” do comércio e do marketing, paciência, mantive a revista por 10 anos sem sequer colocar anúncios e se o faço é para poder ter melhor conteúdo e não pretendo estragá-los com publicidade.

Já neste primeiro mês, outra parte da MS, que não foi usada em 2019, vai ser finalmente inaugurada, a seção de EAD. Nosso sistema de EAD está pronto para começar a ser utilizado, com produção própria.

Falando em parcerias, vamos começar a década com alguns parceiros muito interessantes, mas ainda não posso contar quem são, aguardem as surpresas.

É isso… Estou escrevendo direto da praia, para lhes desejar uma nova e excitante década e compartilhar estes sonhos para o ano que também se inicia. Perdoem a escassez de imagens no artigo, atualizo quando voltar a minha estação de trabalho.

Tomara que a passagem tenha sido muito legal a todos, cada um de seu jeito, no seu estilo.

Da MS podem esperar nada menos que o melhor…

Divino Leitão
Coordenador de Editorias