Lógica de programação para iniciantes usando Basic

Lógica de programação para iniciantes é um assunto que possui muita informação na internet, mas será que é o que você precisa ?

Encontra-se conteúdo para aprender lógica computacional usando fluxogramas, lógica com inteligência artificial, usando programas prontos, entre outros.

Antigamente o assunto lógica de programação para iniciantes não existia, as pessoas (incluo aqui as crianças) programavam levando em conta os resultados.

Era uma época que ainda não existia o Windows, Linux e/ou programas para desenvolvimento de imagens, as pessoas trabalhavam usando sistemas operacionais como o DOS e a linguagem Basic.

É claro que já existiam outras linguagens de programação, mas nenhuma chegava perto do Basic em relação a quantidade de usuários.

Criavam-se desde programas para empresas até jogos com gráficos e o Basic estava presente nas escolas e residências.

Ficou interessado(a) ?

Então continue lendo e saiba mais sobre lógica de programação para iniciantes e como usar isso com a linguagem Basic.

Lógica de programação para iniciantes – Um pouco de história

lógica de programação para iniciantes
A História é a principal fonte de aprendizado – Fonte da imagem: Foto de Victor no Pexels

Quando se fala em Basic lembra-se de uma época em que tudo era novo na microinformática, todos estavam aprendendo a como utilizar os computadores pessoais.

O Basic, conhecido como linguagem de programação, era muito mais do que isso, era a primeira coisa que se via ao ligar o computador, coisa que acontece hoje com o Windows e com o Linux.

Era o nosso Sistema Operacional 🙂

Provavelmente por causa disso se aprendia com facilidade a programar com Basic, não existiam distrações.

Para ver algo funcionando no computador você tinha que colocar a mão na massa ou conseguir uma fita K7 com algum jogo ou programa.

A questão é que a linguagem Basic ainda é utilizada e apreciada por muitos, inclusive escrevi sobre isso no meu blog pessoal, aonde mostro como instalar o blueMSX (sistema que emula computadores padrão MSX).

Com o blueMSX você consegue criar os seus programas em Basic, mas existem maneiras mais fáceis para fazer isso.

Usando o Basic com facilidade

O problema do blueMSX comentado acima é que ele as vezes pode complicar para os iniciantes, como por exemplo a configuração do teclado e salvar programas, por isso aqui na MS utilizaremos outras ferramentas.

São sites que utilizam emuladores online e fáceis de aprender, clique nos links abaixo para conhecer.

1 – File Hunter – Emulador Basic

2 – WebMSX – Emulador Basic

Na verdade são emuladores de computadores padrão MSX e no site File Hunter você encontrará também aqueles jogos amados das década de 1980.

Uma parte dedicada aos computadores Amiga também está no site, lá você encontrará vários jogos, como o icônico Elite.

Qualquer um dos dois podem ser utilizados para aprender Basic e seguir o que será postado aqui na Revista Micro Sistemas.

Mas o final das contas fazer o que gosta e gostar do que faz é o mais importante.

Uma palavra do patrocinador…

É fato que o Basic foi amplamente usado na década de 1980, porém não foi criado nesta época como muitos pensam.

A linguagem surgiu em 1964, criada por John G. Kemeny, Thomas (cientista e educador), E. Kurtz (tecnólogo da informação) e Mary Kenneth Keller (freira e cientista da informação).

A linguagem teve influência de, Algol 60, Fortran II e JOSS (uma das primeiras linguagens de tempo compartilhado).

Influência da Microsoft no Basic

A Microsoft foi criada em 1975 por Bill Gates e Paul Allen para comercializar interpretadores Basic e foi a partir dai que a linguagem ficou amplamente conhecida.

A primeira versão do Basic apareceu com o nome “Altair Basic”, mas existiram diversas versões, veja a seguir.

  • Basic-80 estendido (lançado em 1977)
  • Disco Basic-80 (simplificado com funções neutras de hardware)
  • Disco autônomo Basic-80 (primeira implementação a usar uma variante de 8 bits)
  • TRS-80 nível II/III Basic (inicialmente era uma adaptação do Tiny Basic, Nível I Basic)
  • Basic-86 (primeira implementação como um sistema de linguagem baseado em disco autônomo)
  • Texas Instruments Basic (Embora muito parecido com o Microsoft Basic o TI-99/4 Basic não foi desenvolvido pela Microsoft)
  • 6502 Basic (a Microsoft portou  Basic-80 para o 6502 no ano de 1976)
  • Basic-68 e Basic-69 (disponíveis para os micro processadores Motorola 6800 e 6809)
  • MSX (a Microsoft produziu um MSX Basic, baseado em ROM, para computadores MSX)

Existem outras versões do Basic como Altair Basic, Amiga Basic, Commodore Basic e muitas outras, mas seria inviável comentar sobre todas e este não é o objetivo deste artigo.

Lógica de Programação para Iniciantes e o MSX Basic

lógica de programação para iniciantes
MSX Basic

Quem leu até aqui e reparou nas ferramentas que utilizaremos percebeu que o padrão que mais será utilizado é do MSX Basic.

Isso não significa que não possamos utilizar outros padrões como o TRS-80 Basic, por exemplo.

E porque Basic ?

Primeiro porque a Revista Micro Sistemas sempre trouxe diversos programas em Basic que os usuários podiam digitá-los e ver os jogos e/ou programas rodando.

Segundo porque somos apaixonados por Retro Computação e a linguagem Basic é excelente para aprender lógica de programação.

Mas é claro, têm a cereja do bolo…

Sabe o nosso Curso Básico para Criação de Adventures ?

Então, andamos estudando e além do curso básico, terá uma sequência aonde o Adventure será criado usando a linguagem Basic.

Isso mesmo, a nossa intensão é fazer com que as pessoas divirtam-se e ao mesmo tempo voltem a criar os seus jogos, sem depender de ferramentas prontas.

Imagine a situação, várias pessoas criando os seus jogos e colaborando entre si, queremos trazer de volta os grupos de apaixonados por micro computação que colocavam a mão na massa para aprender.

Gostou do artigo ?

Então deixe o seu comentário e compartilhe !

Fazendo isso você estará ajudando a Revista Micro Sistemas a voltar ao lugar que nunca deveria ter saído, “Primeira e melhor Revista de Micro Informática do Brasil”.

Obrigado pela visita.

Ricardo Sierban

Sou amante de retro computação, retro programação, marketing, ficção científica, literatura e outros assuntos que venham a agregar na minha vida e vida de outras pessoas.

4 thoughts on “Lógica de programação para iniciantes usando Basic

  • 08/03/2021 em 18:52
    Permalink

    “Era o nosso Sistema Operacional. Provavelmente por causa disso se aprendia com facilidade a programar com Basic, não existiam distrações.”

    Isso me fez pensar uma coisa: Não tem como se apaixonar por um celular ou um computador que joga fora em poucos anos porque já não roda “os mesmos programas de sempre”. O mesmo vale pra linguagens que mudam de interface e ficam pesadas, scritps novos que surgem todos os anos que fazem “um pouquinho mais” que o anterior e muito menos que as linguagens. A mente não funciona com tanta coisa mudando toda hora, não dá tempo de se aprofundar em nada. Acho que é por isso que gostamos até hoje dos nossos micros e linguagens antigas.

    Resposta
    • 08/03/2021 em 19:15
      Permalink

      Obrigado pelo comentário Carlos.

      É isso ai, você pegou o espírito da Micro Sistemas, programar e criar como no tempo que éramos “obrigados” a pensar para criar algo, um tempo em que o Basic era ensinado nas escolas para crianças.
      Hoje em dia muitos adultos não conseguem fazer o que as crianças faziam, mas a Micro Sistemas veio para resgatar isso.

      O curso de Adventure que encontra-se no site é também para isso, fazer com que as pessoas pensem, imaginem, criem.

      Aproveite para ver o artigo https://revistamicrosistemas.com.br/como-usar-o-web-msx/ , acredito que irá gostar.

      Abraços e continue acompanhando o trabalho da MS.

      Resposta
    • 08/03/2021 em 20:49
      Permalink

      Olá Carlos, seu comentário me fez pensar em coisas que fazíamos na infância e que nem tem mais, exceto em alguns nichos, como o autorama por exemplo. Comecei com os da Estrela, como a maioria dos garotos, mas quando descobri o TCR, me apaixonei, porque era mais configurável e o carrinho não era tão estático, fazia mais do que correr. Mas ambos permitiam a customização dos carros, nos autoramas convencionais dava para comprar carrocerias e pintar, cheguei a faze-las na mão, com latinhas de Skol, que não eram de alumínio e sim de ferro e permitiam um carro bem pesado e com mais potência de motor. Fiz isso também em meus TCR, com carrocerias.
      Outro brinquedo que praticamente desapareceu do mapa foram os trens miniaturizados, minha pista particular de TCR tinha um pequeno trem que corria paralelo a pista e as vezes a cruzava, tornando as corridas mais emocionantes, pois se tivesse que esperar o trem as vezes o adversário te alcançava.
      Hoje estas coisas poderiam ser bem mais interessantes — e são — pois existem versões de autorama e até mesmo dos modelos de trens, mais sofisticadas só que são caras e despertam muito menos atenção que os jogos brilhantes e barulhentos dos celulares ou dos consoles.
      O velho “autorama” virou Mario Kart, que não deixa de ser interessante, especialmente para quem joga online,mas falta o contato físico, falta o carrinho saindo da pista e você ter que ir lá colocar de volta ou depender de um ajudante esperto, que também coloca o carrinho do adversário na pista, mas sempre atrasa um pouco mais 🙂
      Nada contra, tive ambas as coisas e não tenho do que reclamar, mas quando penso que o BASIC tem praticamente minha idade (7 anos mais novo) e ainda desperta interesse e roda em quase tudo que conhecemos, fico pensando qual destas novidades que temos atualmente vão durar tanto e ainda que durem, será que terão pessoas que começaram por ele para contar a história ?

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: