ENTENDA O QUE É GOLPE

DEFINIÇÃO DE GOLPE

Antes de começarmos a tratar de “golpes na internet” é preciso primeiro entender o que o termo golpe significa. Evidentemente há muitos significados, como por exemplo o “Golpe de estado” que pode derrubar um governo, mas aqui queremos tratar do golpe contra você, contra sua inteligência e sua paciência.

Golpes são diferentes de vírus ou outros tipos de invasores que as vezes — normalmente sem saber — instalamos em nossos micros e outros equipamentos e que agem em segredo, sem nosso conhecimento. Há alguns golpes que utilizam esta opção em conjunto, porém a maior parte dos golpes utiliza mais a chamada engenharia social que consiste em uma “boa” conversa que irá te induzir a fazer ações prejudiciais, sendo a principal delas: depositar valores para desconhecidos.

Legalmente isso também pode ser chamado de chantagem ou mais especificamente de estelionato o famoso 171, que representa o número do artigo no Código Penal e trata do uso ilícito de artifício, ardil e outros meios fraudulentos de conseguir vantagens financeiras enganando as pessoas.

Um golpe normalmente é uma série de ações, que induz alguém a enviar dinheiro a terceiros, que não são exatamente quem dizem ser. Consegue-se isso a partir de bem elaboradas histórias e representações que irão convencer a vítima, usando truques diversos, via telefone, internet e mais raramente de forma pessoal.

GOLPE DO CARTÃO

Um dos golpes mais bem elaborados e que tem muitas reclamações é o famoso GOLPE DO CARTÃO, cometido quase sempre contra pessoas idosas, que recebem uma ligação do “seu banco” ou da operadora de cartão, informando que seu cartão foi clonado e que precisam dele para fazer averiguações.

Neste golpe se informa que um motoboy irá buscar o cartão e normalmente este intermediário vai te apresentar o próprio celular, onde pedirá para digitar a senha do cartão, para “confirmação”. No momento em que fizer isso… prepare-se para separar-se de seu dinheiro, pois em minutos será transferido para uma outra conta e se procurar o banco para reclamar a pessoa será informada de que o banco ou a operadora não tiveram nenhuma responsabilidade nisso e os respectivos advogados estarão lá, para te provar que estão “certos”.

Na verdade não é tão simples, o banco ou operadora realmente não podem ser responsabilizado pelo golpe em si, mas são responsáveis por cancelar eventuais compras ou despesas que sejam feitas com o cartão após a denúncia pelo cliente. Se aconteceu com você e não está bem esclarecido, procure um advogado para se informar.

Em raros casos algum funcionário do banco ou da operadora podem estar envolvidos, se isso ficar claro, os contratantes são co-responsáveis e devem indenizar a vítima.

As vezes as pessoas desconfiam mas ficam com medo, afinal os golpistas tem seu endereço, mas isso tem formas simples de resolver.

A que as pessoas menos usam e a mais óbvia é chamar a polícia, informar que está vindo um cúmplice (o motoboy é um cúmplice) a sua casa e este pode ser preso em flagrante.

Outra forma é não aprovar isso, dizendo que faz questão de ir ao banco, entregar o cartão ao seu gerente, isso costuma resolver melhor. Ao chegar ao banco, vai verificar que não houve nada com seu cartão e que sequer sabiam do ocorrido.

É fato, porém não do conhecimento geral que este não é o procedimento dos bancos e operadoras. Eles jamais enviariam um motoboy para pegar seu cartão, apenas o bloqueariam e pronto. Isso é exatamente o que costumam fazer, sem nos dar qualquer aviso. Ai você liga para o SAC e eles mandam outro cartão… simples assim ou te obrigam a ir lá, para confirmar que é você mesmo que está pedindo, trocar senhas, etc.

Note que apesar de também ser crime é bem diferente de assalto, roubo, rapto ou sequestro, que são crimes que envolvem ações presenciais e colocar pessoas em risco de morte.

Veja como exemplo, um sequestro relâmpago, onde a pessoa é obrigada a informar senhas ou meios de comunicação com familiares ou conhecidos e é ameaçada fisicamente. Isso está longe de ser apenas um golpe, isso é crime bem mais grave e dificilmente é resolvido sem pedir auxilio a polícia. Quem tiver a infelicidade de passar por isso precisa esquecer tudo que se diz de ruim em relação as forças policiais e entender que se tentar lidar com isso sem este auxílio, pode estar condenando a principal vítima, que é quem estiver em poder dos criminosos.

Pagar aos criminosos pode ser uma sentença de morte pessoa que está em poder deles, tanto quanto não pagar… só quem sabe lidar com isso é a polícia, então não confunda golpe com crime que envolva rapto, sequestro ou mesmo apenas ameaça.

Na dúvida é crime… informe a polícia que eles lhe dirão o que fazer.

FALSOS CRIMES

Muitos golpes usam como pano de fundo uma pessoa próxima e conhecida, alguns podem afirmar que a pessoa está em um hospital ou em situação de risco (como um acidente) neste caso a forma mais correta é tentar contactar a pessoa por outro meio. O telefone não é seguro, porque pode até mesmo ter sido roubado. Mas sempre procure uma forma de contactar a pessoa e confirmar se ela está realmente naquela situação, não conseguindo, veja o que é possível para ganhar tempo, enquanto chama outras pessoas para te ajudar, lidar com isso de forma solitária é sempre a pior opção. Não tendo ninguém para isso, solicite ajuda da polícia.

O mais importante é não se deixar levar por pedidos financeiros, nenhum hospital pode exigir pagamentos antecipados de forma remota e no caso de um acidente grave o pedido de dinheiro — seja por qualquer desculpa — costuma ser indício de golpe. O correto nestas horas é chamar por uma ambulância e ambulâncias públicas não pedem dinheiro e as privadas não irão sair para socorrer ninguém. Use sua capacidade de ganhar tempo… finja fazer o que foi solicitado, enquanto pede ajuda.

Este é um tipo de golpe que as vezes envolve também a ameaça de crimes mais pesados, como por exemplo afirmar que está de posse de um parente próximo ou alguém de seu relacionamento.

Tais golpes são bem elaborados, envolvem vários criminosos agindo ao mesmo tempo, um deles provavelmente está ligando para o celular daquele que dizem estar sem seu poder, para manter a pessoa ocupada e portanto sem sinal, nem sempre é fácil, porque os celulares mais modernos avisam se alguém te ligar durante uma ligação, ou mesmo se for enviada uma mensagem. Mas as vezes é suficiente.

Então a primeira coisa a se fazer é tentar entrar em contato com a pessoa envolvida, ligue, mande mensagem tente o contato, é possível fazer isso no próprio aparelho, pedindo um tempo ao golpista, para fazer algo, mantendo-o na linha.

Neste momento dá até mesmo para chamar a polícia e colocar na mesma ligação, rastreando o golpista. Alguns celulares mais modernos permitem isso, daí ser importante aprender a usar estes recursos.

Se não conseguir contato, tente chamar algumas pessoas para te ajudar e em seguida faça o possível para ganhar tempo.

Se o golpista estiver pedindo dinheiro imediato, finja que concorda, provavelmente irá dar preferência ao PIX e neste caso aceite, mas não faça a transferência, apenas diga que fez e pergunte o que vai acontecer em seguida.

Provavelmente o golpista nem terá como verificar na hora a transferência, já que normalmente usam PIX de laranjas e levam um tempo para confirmar.

Provavelmente vão te ligar novamente então é um bom momento para não atender ligações de desconhecidos ou manter seu telefone ocupado.

Entenda que se neste momento o golpista não está em poder da pessoa, nada poderá fazer e se estiver o seu objetivo é ganhar dinheiro e não matar a pessoa. Provavelmente pode mata-la, mas só depois que receber o dinheiro, para não deixar testemunhas, lembre-se SEMPRE disso, que no momento que pagar… aí sim a pessoa corre mais riscos, pois deixa de ter qualquer valor para quem comete o crime.

Uma das coisas mais básicas a fazer nestes casos é pedir para falar com a pessoa… Se ela estiver com os criminosos provavelmente vão deixa-la falar, se não estiver vão negar ou fingir, com grunhidos ou gritos, na intenção de te assustar mais. Tente manter a calma nesta hora.

O fato é que isso não é um crime grave, é apenas um golpe, uma mentira e provavelmente quem está cometendo já está na prisão….

Claro que a dúvida é terrível, mas creia… a última coisa que deve fazer é pagar.

Quando o criminoso não está de fato de posse da pessoa, costuma ameaçar outras da família, como por exemplo, dizer que sabe seu endereço ou o horário que outra pessoa sai do trabalho, da escola, neste caso pode ter certeza que é golpe, pois se já tem alguém em seu poder, porque iria ameaçar outras pessoas?

Se ouvir este tipo de ameaça… respire com mais alivio, pois é mentira, talvez o melhor a fazer seja desligar e informar a polícia, para não ficar sob influência do criminoso.

Existe também uma outra possibilidade, a de que a vítima esteja realmente em poder do criminoso, mas já esteja morta… Neste caso nada do que faça poderá mudar o cenário, então o melhor é pedir ajuda, chame parentes próximos ou amigos que tenham algum tipo de conhecimento do assunto.

Lidar com isso sem orientação é sempre mais difícil.

QUEM APLICA ESTES GOLPES?

Na grande maioria dos casos são presidiários, quase sempre sem capacidade de convencimento, especialmente pela Internet. Mesmo assim os golpes são bem planejados e seguem algumas directrizes complexas, com uso de várias pessoas, prontas para seguir um enredo criado apenas para enganar.

Existem especialistas nisso, tanto na parte de planejamento quanto na parte de execução, alguns tem uma lábia tão grande que nos convencem de qualquer coisa, este costuma ser o maior talento de um golpista. Mas se a pessoa falar errado, dizer frases como “está ligado?” entremeando o vocabulário, ou falar muito rápido e de forma incompreensível, mesmo que não seja golpe, desligue na cara da pessoa e se for nas redes sociais, bloqueie.

Ninguém está obrigado a receber a manter contato com quem não sabe se comunicar, então — na dúvida — não fisgue a isca, pois de qualquer forma é uma isca. Se não quiser ser radical, apenas finja que a comunicação caiu, se for mesmo importante a pessoa vai insistir, se não for… vai passar para o próximo de uma lista.

Alguns golpes são aplicados por empresas, especializadas em te “vender” algo que você não precisa. Por exemplo, se alguém te liga ou manda mensagem por uma rede social se dizendo “correspondente bancário” do banco tal, pode ter certeza quer é uma tipo de golpe. Ou vai querer te oferecer um empréstimo ou te envolver em algo. Bancos são proibidos de ligar para seus clientes para fazer solicitações. A comunicação é sempre por mensagens diretas, adequadamente identificadas ou um comunicado te pedindo para ir até a agência.

Apenas clientes VIP tem atendimento prioritário direto com um gerente, normalmente por um número conhecido e na maior parte das vezes utilizando códigos de identificação. Isso ocorre justamente porque logo no início da Internet muitos bancos foram vítimas de golpes, contra seus clientes, usando principalmente e-mail.

E os hackers fazem a festa, seja roubando suas senhas através de sistemas que envolvem vírus ou “engenharia social” que são mensagens disfarçadas de serviços que você costuma usar, a mais usual e conhecida é a clonagem de seu número do Whatsapp…

Eventualmente os golpes são aplicados por criminosos mais pesados, capazes de criar mais problemas, normalmente envolve chantagem e ameaças, a chantagem é algo complicado de se dizer como lidar, pois vai depender muito do tipo de chantagem, mas ameaças não devem ser levadas em consideração, a melhor forma de lidar com elas é não manter a conversa e fazer a denúncia, inclusive as leis sobre isso estão se tornando mais rígidas, portanto ameaçar alguém pode trazer vários problemas a quem faz a ameaça.

O GOLPE DO WHATSAPP

Este é o mais comum dos golpes, permite ao golpista acesso ao seu número do Whatsapp, fazendo com que seu próprio número fique desabilitado, enquanto o golpista envia mensagens a seus contatos pedindo dinheiro.

Em casos mais graves, faz chantagem com você mesmo, seja para não divulgar algum conteúdo de seu Whatsapp ou para lhe devolver o número.

Sim a primeira perda que você terá é do seu número de telefone, quase sempre a solução tradicional envolve isso e nem sempre é uma opção, para quem usa muito o telefone e tem um número já conhecido.

Há muitas soluções para evitar este golpe, mas nossa solução principal — especialmente para quem tem muito a perder — é não usar o Whatsapp em seu telefone pessoal. Crie um número específico e exclusivo para o Whatsapp, que pode inclusive nem ser o de um celular. Há serviços próprios para isso e costumam ser eficientes para evitar a clonagem. Não precisa ter dois celulares, você contrata o serviço e o próprio serviço faz a comunicação com seu telefone pessoal, mas isso fica invisível a golpistas. Obviamente isso tem um custo.

A outra forma é ter muita atenção com recebimentos de código em seu celular, o golpe mais básico da clonagem do Whatsapp consiste em alguém te dizer que vai enviar um código de outro serviço e em seguida você recebe o código do Whatsapp e digita em algum lugar ou informa a alguém, até mesmo pelo telefone.

Ocorre que o número que foi enviado foi pelo Whatsapp, ou seja, a pessoa falou que ia te enviar, mas apenas entrou no Whatsapp e registrou um numero novo, como se fosse seu número. Com isso você mesmo estará informando o código de mudança e entregando — de bandeja — sua conta do Whatsapp… Aí se prepare para muita dor de cabeça, terá que mudar seu número de telefone, ir pessoalmente a operadora para fazer isso e até mesmo abrir um boletim de ocorrência na delegacia e isso se não tiver a infelicidade de alguma pessoa de seus contatos ser enganada com um pedido de empréstimo que pensou ter sido feito por você.

Existe no Whatsapp uma opção chamada “verificação em duas etapas” porém ela não vem ativada, você precisa fazer esta ativação, que é bastante simples e consiste em uma senha extra que precisará colocar para aceitar a mudança de número. Seria complicado o golpista te convencer a informar esta segunda senha. Embora não seja impossível. Aí vai depender de sua atenção ao uso destas senhas e códigos e principalmente de nunca informa-las a terceiros.

Um dos casos mais simples deste golpe é uma mãe, que recebe um Whatsapp do próprio filho — as vezes filha, netos sobrinhos — pedindo um valor para se livrar de um problema que pode ser um veículo quebrado, um atendimento médico ou algo similar.

Quem está pedindo não é quem a pessoa imagina, porém a pessoa que teve seu celular clonado. A mãe — preocupada — nem pensa em confirmar o pedido e hoje, com as facilidades de transferência oferecidas, simplesmente envia o valor, sem sequer questionar para quem está enviando.

Se fizer isso, não terá — em alguns casos — como registrar um Boletim de Ocorrência, já que em algumas delegacias os responsáveis alegam que se a pessoa enviou o valor por vontade própria não é crime. Só que é crime sim, de estelionato, já que a pessoa foi induzida a fazer a transferência e o correto seria investigar a conta no qual o valor foi depositado, mas parece que alguns de nossos valorosos defensores da lei não querem ter trabalho extra.  Caso ocorra com você, insista, procure a corregedoria da polícia ou outra delegacia, pois é importante que se investigue quem recebeu, mesmo que na maioria dos casos sejam contas de laranjas, ou seja, pessoas que nem sabem que existe uma conta em nome deles, o que é outro crime sendo cometido contra esta pessoa e infelizmente, apesar de várias regras do BC, continua a acontecer com extrema facilidade, justamente porque a polícia não investiga.

As vezes o valor é baixo — cada um tem sua noção do que é um “valor baixo” — e a pessoa fica até mesmo com vergonha ou preguiça de denunciar, mas ao fazer isso estará colaborando para que outros caiam no mesmo golpe, já que o importante nestes casos é investigar e desarticular as quadrilhas envolvidas.

COMO EVITAR GOLPES

O mais importante é muita atenção a qualquer pedido de valores, especialmente os realizados usando as redes sociais. Isso é possível com algumas ações até bem fáceis e cuidados que precisamos sempre tomar, quando envolver transferência de dinheiro.

Algumas vamos listar a seguir e as demais, nos diversos capítulos desta série:

  1. Jamais transfira dinheiro sem confirmar antecipadamente com a pessoa envolvida, seja conhecida ou não. Quanto mais conhecida for, mais fácil confirmar e que seja sempre usando um sistema diferente daquele onde o pedido é feito. Quando for via Internet sempre verifique pessoalmente, jamais não acredite em “urgências”, se entender que é importante, vá verificar pessoalmente ou envie alguém para isso;
  2. Quando for pagar boletos ou qualquer outro tipo de cobrança, acostume-se a verificar se os dados da instituição para a qual está pagando são reais. Isso é fácil de verificar, por exemplo, uma multa deverá conter CNPJ de uma instituição do governo e sempre terá um link para verificação da autenticidade. Os golpes mais básicos consistem em enviar um boleto, que se parece com uma conta que você costuma pagar, porém os dados bancários ou CNPJ não constam ou se tentar confirmar vão indicar outra empresa. Na dúvida nunca pague, busque a empresa através do site oficial e solicite o envio de outro boleto, por um meio seguro;
  3. Qualquer pedido de transferência que envolva “urgência” provavelmente é golpe. Raramente empresas tem a preocupação de evitar que você pague uma multa ou entram em contato antes do vencimento; confirme sempre, converse com outras pessoas a respeito e só quando tiver certeza, faça o pagamento. Se for um telefonema e a pessoa ficar exigindo urgência, tenha a certeza que se trata de golpe ou na melhor das hipóteses, constrangimento ilegal, de qualquer forma um crime está sendo cometido e é contra você;
  4. Não confunda golpe com outros tipos de crime. Quando alguém liga dizendo que cometeu um sequestro ou algo parecido não se trata apenas de golpe, mas sim de crime mais grave e pode ser real. Em um momento assim peça ajuda a quem tiver disponível, nunca tente lidar com isso sem apoio, seja da polícia ou familiares. Nestes momentos nossa capacidade de raciocinar diminui e é mais fácil sermos induzidos a fazer algo que não faríamos em outras circunstâncias. Se estiver sem poder ter contato com outras pessoas, talvez o melhor seja desligar o telefone e pedir ajuda. Normalmente este tipo de crime acontece por telefone ou redes sociais, raramente ocorrem por e-mail, mas podem ocorrer presencialmente, neste caso finja que concorda com tudo que a pessoa pedir e na primeira oportunidade peça ajuda. Se envolver a entrega de bens ou cartões ou senhas, finja que não os tem ou minta nas informações, o importante é estar em segurança para poder pedir ajuda e se acontecer presencialmente, chame sempre a polícia;
  5. Na dúvida, sempre chame alguém que possa entender mais do assunto, para uma segunda opinião;

Certamente é mais fácil falar do que fazer, os golpistas são rápidos e usam técnicas psicológicas para nos pegar desprevenidos, estas técnicas são usadas até mesmo em operações comerciais, razão pela qual somos tão assediados com ligações, mensagens e outros meios de contato não solicitados. Por trás disso sempre estão pequenas infrações a legislação, que infelizmente são vistas de forma muito branda pelos que deveriam fazer valer as leis.

CONCLUSÃO

A quantidade de crimes existente é tão grande que seria difícil oferecer soluções ou prevenção para todos eles, por isso mesmo criamos esta série, para poder abordar a maior parte possível das ocorrências.

Você pode participar ativamente, usando os comentários, tanto para fazer perguntas quanto para narrar suas experiências pessoais ou que tenha presenciado.

Nós da MS, estamos sempre atentos, inclusive para denunciar “falsos golpes”, que algumas pessoas usam como forma de chamar atenção, em nossas pesquisas encontramos vários youtubers e influenciadores que simplesmente inventam golpes ou avisos alarmantes apenas para chamar atenção e isso também é bastante prejudicial, já que causa pânico e desinformação. Tais pessoas também deveriam ser denunciadas, para entenderem que o assunto é sério.

Em um dos links que seguimos, o (des)influenciador é tão patético que usa o título: “CUIDADO: 4 GOLPES DO PIX QUE ESTÃO ROUBANDO MUITO DINHEIRO!” mas só fala de golpes que sequer envolvem de fato o PIX e ainda cita apenas 3 golpes, contrariando seu próprio título. Se quiser comprovar, veja o vídeo e se achar que realmente o que o youtuber informa é relevante, então passe a segui-lo. Para nós foi um exemplo de alarmismo desnecessário.

Na verdade um único dos golpes citados fala efetivamente sobre o PIX, mas é tão ridículo que fica difícil acreditar que alguém seja tão tolo a ponto de imaginar que existe uma chave bugada na qual você deposita um valor e recebe o dobro de volta. Já o último golpe, aparentemente é algum problema pessoal com um banco e que nada tem a ver com o PIX e fala de uma complicada ação que na verdade não leva a nada a não ser uma série de suposições sem sentido e que não envolvem necessariamente o PIX.

Isso contribui apenas para que as pessoas fiquem ainda mais assustadas e embora no primeiro item alguma informação relevante seja dada, no caso sobre o Golpe do Whatsapp, do qual falamos mais acima, confunde ao afirmar que é um golpe do PIX,  mas que não envolve absolutamente o PIX, exceto na hora de solicitar pagamento, mas aí é outra história, já que qualquer chave PIX iria identificar o solicitante e demonstraria que se trata de golpe.

Quanto ao PIX, vamos falar muito dele, não porque seja fácil fazer golpes com esta ferramenta, que na verdade atrapalha mais do que ajuda aos golpistas. Porém por ser uma ferramenta de pagamento quase imediato com certeza será utilizado como forma preferencial para os pagamentos. O paradoxo é que o PIX, ao mesmo tempo que ajuda na hora de fazer o pagamento, permite um rastreamento mais seguro do caminho que o dinheiro faz, portanto mais complicado para o ladrão mais burrico, que vai acabar se incriminando.

Nosso próximo tema é justamente esta ferramenta, que o BC trouxe para os brasileiros a partir de Novembro de 2020, em plena pandemia e que, do nosso ponto de vista, ajuda muito mais do que atrapalha.

Series Navigation<< DDSTWHATSAPP PINK >>

Divino Leitão

Safra de 57, um cara das artes, professor e coordenador do CPD da MS. Desde sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: