PIX

Lançado sem maiores alardes, em 15/11/2020 o PIX, que é o nome de uma forma de transferência monetária mantida pelo BC e que usa principalmente a Internet como meio de transmissão, está sendo ignorado solenemente pelas mídias em geral.

Hoje (04/01/2021, dia da publicação desta matéria) o PIX deveria ganhar o auxílio luxuoso de poder substituir os boletos bancários, uma praga (literalmente falando) que temos que encarar todo santo mês e se esquecer de pagar, tem que esperar emitir outro e pagar multas absurdas, que em alguns casos podem superar o valor a ser pago. O PIX não vai mudar algumas coisas como multas e taxas, mas só de impedir que pessoas sem escrúpulos manipulem os pagamentos de forma a gerar lucro para si próprios já vai ser um avanço, sem contar que vai dificultar uma coisa que muitos intermediários, como administradoras de condomínio costumam fazer, que é receber taxas e juros e não repassar para aqueles que seriam os legítimos recebedores ou outra, menos, mas igualmente condenável que é adicionar em média R$ 2,00 para emitir um simples boleto, valor absurdo principalmente nos tempos atuais em que usar papel para isso é desperdício de papel.

De qualquer forma o BC promete o PIX para boletos apenas para março.

Como não está sendo feito propaganda, poucos estão utilizando o PIX e os que desejam usar tem muitas dúvidas.

Por exemplo: Devo usar, como chave do PIX o meu e-mail, meu telefone, CPF/CNPJ ou os tais números aleatórios?

A resposta para esta pergunta é TODOS, cada um tem uma finalidade específica, vai uma dica…

Use preferencialmente o e-mail e crie um e-mail especialmente e exclusivo para cada conta bancária diferente, assim terá um controle bem melhor de quem está lhe pagando e saberá imediatamente, pelo próprio e-mail o resultado da transação, sem precisar acessar a conta bancária ou outros sistemas. (Divino Leitão, especialista em PIX)

O telefone só deve ser fornecido para pessoas de sua confiança e CPF ou CNPJ ainda dependem de análises de futuros ajustes do sistema, haverá muitas situações em que pagar usando o CPF pode ser uma espécie de recibo do pagamento.

Já o tal número aleatório, até o momento se revela útil apenas para pagamentos em que prefira não oferecer seus dados pessoais, junto com ele vai para o pagador apenas parte de seu CPF e seu nome, os demais dados serão preservados, assim com conta bancaria e outros, que costumam ir associados aos dados da escolha que fizer.

Por enquanto até evite usar os números aleatórios especialmente quando for pagar alguém, pois como você só terá um recibo sem a identificação de quem recebeu é possível que a pessoa aplique um golpe ou por desconhecimento do uso do sistema afirme que você não pagou e isso vai gerar muitos problemas.

Não vem ao caso citar em uma matéria todas as possibilidades, de golpes, falhas e possíveis complicações envolvendo o PIX, mas sinta-se a vontade para consultar o especialista Divino Leitão – este que vos escreve – através de consulta particular ou utilizando um grupo do Facebook, onde haverá atendimento personalizado sobre qualquer dúvida. Este é um serviço pago e por enquanto apenas para pessoa física, empresas podem fazer consultas também, mas dependem de orçamento prévio, já que este tipo de consultoria pode envolver detalhes bem específicos e ainda não bem definidos pelo BC.

O acesso ao grupo é gratuito, no entanto para fazer perguntas ou comentários publicamente é preciso ser usuário VIP. Se você já é leitor VIP da MS, pode usar o grupo como VIP também, em qualquer pagamento adicional, exceto se solicitar atendimento personalizado, neste caso pergunte no grupo qual o valor. Clique na imagem para acessar o grupo.

MINI FAQ SOBRE O PIX

VALE A PENA USAR O PIX?

Com toda certeza vale usar e mesmo que a reservada leitora ou o reticente leitor estejam com dúvidas, medo ou ambos, saibam que este serviço já é utilizado em mais de 40 países, com outros nomes, mas a mesma finalidade que é oferecer uma opção simples e eficiente a moeda e serviços bancários.

O PIX É UM SERVIÇO BANCÁRIO?

Sim e não! Sim porque os bancos também vão usar o serviço e escolher como irão oferecer a seus correntistas e não porque o PIX é um serviço gerenciado pelo BC, que é a entidade brasileira que fiscaliza e determina como os bancos devem trabalhar, lembrando que Banco Central não é um banco, mas um órgão fiscalizador dos bancos. É o BC que define as regras de uso do PIX.

PRECISO TER UMA CONTA BANCÁRIA PARA USAR O PIX?

Sim, não precisa ser um banco tradicional, pode ser um correspondente bancário ou um serviço na Internet. Porém o dinheiro recebido ou pago deve estar em um local, para poder ser utilizado usando o PIX.

Futuramente lojas comuns, como supermercados e magazines e até mesmo sua padaria poderão fazer transações com PIX e fornecer dinheiro vivo, porém a ideia do PIX é justamente reduzir a necessidade de circulação de dinheiro, em breve serviços bem simples e ate mesmo esmolas poderão ser pagos usando PIX e sem necessidade de maquininha de cartão ou outros intermediários, o pagamento pode ser feito direto de seu celular e quem recebe não precisa de nenhum equipamento, apenas de um número de PIX. É apenas uma questão das pessoas se familiarizarem com seu uso.

O PIX NÃO É UM GOLPE DO GOVERNO PARA NOS TAXAR MAIS?

Não é, mas pode vir a ser, sem contar que qualquer pagamento com PIX poderá ser facilmente rastreado pelo BC, o que significa que aquele “por fora” ao qual estamos muito mal acostumados a fazer terá que ser literalmente por fora, se usar o PIX, o governo sabe quem pagou e para quem se pagou e obviamente vai usar isso para espionar como usamos nosso dinheiro, disso não há qualquer dúvida.

Na questão dos impostos, além de permitir verificar se os impostos estão sendo pagos corretamente existe a possibilidade do próprio serviço vir a ser taxado, ou seja, passarmos a pagar uma taxa por transações, o ministro da economia já sugeriu que irá fazer isso e promete, em troca, reduzir outros impostos, mas temos todo um histórico onde este tipo de promessa jamais é cumprido, exceto a parte de cobrar.

E OS GOLPES?

Que fique bem claro, golpes não são feitos por ferramentas ou sistemas mas por pessoas e evidentemente em breve algumas pessoas vão criar golpes usando o PIX, não há dúvidas disso. Na verdade algumas já praticaram golpes antes mesmo do serviço estar disponível, demonstrando que não é o PIX que favorecerá ou impedirá golpes.

No entanto é mais provável que o PIX dificulte alguns golpes já tradicionais, como os que utilizam boletos ou golpes de depósito bancário, onde a demora na comprovação de pagamentos favorece golpes diversos.

Outra questão é o uso menor de dinheiro vivo, com o PIX ninguém precisa mais sair carregando quantias grandes de dinheiro.

Mas a imaginação dos pilantras é sempre surpreendente, então “se ligue”, especialmente em transações com desconhecidos.

E SE PERDER MEU PIX?

O PIX não é físico, como um cartão de crédito ou uma folha de cheque e você só usa seu PIX para receber, portanto se alguém roubar seu número do PIX, o máximo que poderá fazer é um depósito em sua conta, não terá como pagar ninguém com ele. Portanto alguém saber seu número de PIX é inútil para te roubar.

Já quando você usa o PIX para pagar, na verdade estará usando sua conta bancária ou serviço financeiro, onde vai ter que colocar senha, dados pessoais ou digital e outras opções de segurança, ou seja, mesmo que uma pessoa roube seu celular, por exemplo, vai precisar destes dados para usar o PIX. Claro que existe a possibilidade de alguém te obrigar a fornecer tais dados, mas há soluções para isso, não vamos lista-las aqui, justamente para não tornar públicas informações que podem ajudar aos “amigos do alheio”, mas nos pergunte particularmente que temos algumas dicas bem interessantes e personalizadas de como pode se proteger de ladrões, sequestradores e outros tipos de pilantras.

O PIX PODE SE USADO NO EXTERIOR?

No momento o PIX é exclusivo para uso no Brasil e mesmo existindo sistemas similares em outros países, não existe ainda comunicação entre estes sistemas, algo que pode mudar no futuro.

Bancos brasileiros, que atendem no exterior, certamente vão oferecer meios de uso, mas certamente as regras de gratuidade não se aplicam e certamente haverá taxação baseada em câmbio e outras questões, portanto muito cuidado se for usar desta forma, talvez os meios tradicionais sejam mais vantajosos nestes casos.

E SE EU NÃO QUISER USAR O PIX?

Nenhuma pessoa pode ser obrigada a usa o PIX, assim como ninguém é obrigado a ter uma conta bancária, porém a vida se torna bem mais complicada sem este serviço e o mais provável é que em poucos anos todo mundo estará usando, salvo as exceções que confirmam a regra.

A pergunta correta seria: e se eu não quiser usar dinheiro? Se acha que é possível… já tem a resposta 🙂

E COMO USAR ESTE TRECO?

Há muitos tutoriais na Internet, mas confesso que muitos deles estão completamente equivocados, especialmente os feitos por Youtubers sem qualquer conhecimento ou até mesmo “especialistas” em finanças, que pretendem mais vender algo do que ensinar de fato a usar algo que é tão simples que qualquer criança entenderia após meia explicação, mas resta o fato que crianças de nossos dias lidam com tecnologia de forma bem simples e para os mais velhos, pode não ser tão simples.

Se eu aprendi e estou atualmente ensinando, é porque qualquer um consegue! (DL)

Nosso especialista em PIX faz aí uma afirmação um pouco polêmica, mas faz sentido, até outro dia ninguém sabia que o PIX existia e o governo não se empenhou em dar maiores informações, na verdade fica claro que estão até preferindo que nem todo mundo comece a usar, pois poderia causar problemas de tráfego nos computadores do BC, que precisam cuidar de tudo, para todos os brasileiros.

FINALIZANDO

O PIX é certamente um serviço bastante útil, agiliza nossa vida financeira de uma forma que nunca vimos antes, talvez possa ser comparado ao momento em que os bancos começaram a permitir serviços pela Internet ou mesmo BBS, pois antes da Internet já era possível fazer transações bancárias usando computadaores.

O importante é agilidade e segurança, algo que já é possível perceber no PIX e nos livrarmos, cada vez mais, do “fardo” de carregar dinheiro – especialmente quando não é nosso – e ao mesmo tempo podermos pagar pelo que precisamos de forma rápida e eficiente.

Não são apenas as pessoas que serão beneficiadas, de uma forma geral a movimentação de dinheiro vivo será bastante reduzida e talvez só as empresas de transporte de valores tenham algo a perder, pois certamente o PIX vai reduzir a necessidade deste tipo de serviço.

Os maiores beneficiados serão as empresas, especialmente nos custos bancários, tanto para receber quando para efetuar pagamentos e mesmo os bancos não terão muito a reclamar, porque haverá uma redução no seu próprio custo, tanto em termos de equipamentos quanto de pessoal, uma vez que com a maior automatização vamos ver se reduzirem – ainda mais – o pessoal necessário para lidar com dinheiro vivo, podemos imaginar isso como um problema que pode gerar desemprego, mas se gera desemprego de um lado, gera de outro, afinal alguém terá que lidar com estes processos dentro das empresas.

Se você acha que seu emprego corre riscos por conta do PIX, não fuja dele, aprenda a lidar com ele e talvez consiga um emprego melhor. (DL)

O governo está liberando o PIX de forma homeopática, mas não se iluda, em breve você estará usando e logo nem vai se lembrar como era difícil fazer algumas coisas sem o PIX.

Se pensar bem terá alguma história para contar sobre como teve problemas para receber ou para pagar algum dinheiro, porque seu banco era outro ou porque haveria um tempo muito longo para espera.

Se tiver uma história assim, compartilhe com a gente, deixe seu “causo” nos comentários. Pode também fazer suas perguntas, sabemos que há muitas dúvidas, mas não adiantaria tentar fazer uma “matéria completa”, basta nos perguntar que responderemos ou se desejar uma atendimento mais personalizado e completo, suba um pouquinho e clique na imagem de quem já sabe tudo que é preciso sobre o PIX nosso coordenador de editores e especialista em PIX nas horas vagas 🙂

Ah sim… só não nos pergunte porque o BC escreveu na logo oficial do PIX o termo “Powered By Banco Central”, sendo que existem liminares probindo isso e o artigo 31 do CDC proíbe empresas de usarem termos estrangeiros em propagandas e ofertas, exceto se vierem com a tradução. Pelo jeito um designer do BC ignorou isso, mas se diretores aceitaram nota-se que não gostam de dar o exemplo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *